terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Benefícios da Maquiagem e dos Cosméticos - 27/09/2010 por Sonia Costa
por Rafaela Boeira Make Up, Terça, 11 de setembro de 2012 às 04:11 ·

Os antigos egipcios se maquiavam para conservar a saúde. A maquiagem singular que eles usavam nos olhos não tinha nada a ver com vaidade. Acreditava-se que o costume, adotado por homens, mulheres e crianças de todas as classes sociais, tivesse propriedades mágicas contra a doença. Apesar de serem feitos à base de chumbo, parece que os produtos realmente exerciam efeitos benèficos sobre a saúde.

Cientistas franceses analisaram 52 amostras de recipientes de junco, pedra e madeira encontrados em tumbas, que fazem parte do museu do Louvre, em Paris. A equipe de Philippe Walter descobriu que a maquiagem continha um composto que estimulava o sistema imune. Os pesquisadores identificaram nela quatro substâncias à base de chumbo que aumentavam a presença de um composto-chave na resposta imunológica.

A equipe descobriu que as substâncias aumentavam em até 240% a produção de óxido nítrico em células de pele humana. “O óxido nítrico é um importante mensageiro molecular envolvido em muitos processos biológicos. Uma de suas principais funções é participar da defesa antimicrobiana e antiviral. Além de tóxica para bactérias, essa substância tem efeito protetor nos olhos.”

As infecções bacterianas eram bastante comuns no Egito por causa da poeira carregada pelos ventos do deserto, que deixavam os olhos secos, irritados e vermelhos. No periódico Analytical Chemistry, a equipe do louvre relata que os “químicos” da época teriam percebido que os usuários da maquiagem apresentavam melhores condições de saúde e estimularam seu uso – o primeiro exemplo conhecido de um tratamento de saúde pública em larga escala.”

Atualmente temos uma exploração muito grande nessa área de cosméticos e, o interessante, é que a propaganda se resume à beleza, no sentido de destacar alguns pontos da face e também disfarçar manchas e pequenas cicatrizes.

Existe também muita preocupação quanto à utilização do chumbo que pode prejudicar a saúde.

Mas Philippe Walter, lembra as palavras do médico renascentista Paracelso, que disse: “Todas as coisas são veneno e nada é livre deles, apenas a dose permite que algo não seja venenoso”. “A baixa solubilidade dos sais de chumbo usados na maquiagem egipcia limita a toxicidade desses compostos”, explica Walter. “Quando o pó é aplicado apenas na pele, não se torna muito perigoso. Nenhum estudo epidemiológico detectou evidências de envenenamento por chumbo.”

A questão da maquiagem também é bastante polêmica em certos grupos religiosos que condenam o uso de cosméticos em alusão à atitude de Jezabel que, quando soube que Jeú havia chegado em Jezreel, se pintou em volta dos olhos e enfeitou sua cabeça e olhou pela janela (Bíblia Sagrada – II Reis 9:30); isto fez ela, para chamar a atenção de Jeú, com o fim de demovê-lo do seu intento de matar seus inimigos. Jeú não se deixou envolver pela sensualidade de Jezabel pois sua morte também já estava decretada. O condenável em Jezabel não foi sua atitude, mas a intenção que a levou a pintar seus olhos; ela foi julgada pela intenção do seu coração e não pelo fato de pintar os olhos, pois a maquiagem era utilizada para conservar a saúde.

Sabemos que as indústrias de cosméticos tem se dedicado aos estudos aprofundados para criar produtos que protejam cada vez mais a nossa pele, tanto dos raios solares, quanto da poluição.

Para mim, o importante é acatarmos as palavras sábias do médico renascentista Paracelso, já citadas anteriormente “Todas as coisas são veneno e nada é livre deles, apenas a dose permite que algo não seja venenoso”. Portanto, vamos “apreciar com moderação” e fazermos da maquiagem e dos cosméticos aliados benéficos para nossa saúde.

Fonte: ALAMY, ACS. Beleza que faz bem. In: Revista “Para Saber e Conhecer” – junho/2010, p. 16


Imagem: Barbie Cleópatra

Nenhum comentário: